0
0
Max Havelaar
Autor:
Editora:
Cód:
9788592649494

Max Havelaar

Autor:
Editora:
Cód:
9788592649494
vol: 13

Disponibilidade

Produto IndisponívelPrazo de entrega válido para pedidos feitos até as 22h00 com cartão de crédito e aprovado na primeira tentativa.
Sinopse
Ficha Técnica

Sinopse

Descrição do Produto

Max Havelaar

Grupo Livros

AutorMultatuli
ISBN9788592649494
TítuloMax Havelaar
EditoraEditora Âyiné
Ano de Edição2019
IdiomaPortuguês
Número de Páginas584
País de OrigemBrasil
AcabamentoBrochura
Altura17,8
Largura12,2
Profundidade3,2
Peso876
FormatoFísico
OrigemBrasil
Serie/Coleçãovazio
Volume13
Sinopse"Sou corretor de café e moro na Lauriergracht, no 37.” Com essa frase de abertura tanto prosaica quanto memorável começa o maior clássico da literatura holandesa, publicado em 1860, explodindo como se fosse uma bomba dupla: como uma obra-prima literária e um ato de acusação social. Definido como “o livro que matou o colonialismo” e uma obra de devastadora modernidade, seja pela refinada estrutura narrativa, seja pela força em denunciar crimes que adornam a história do imperialismo ocidental. Não é à toa que quando foi publicado, Max Havelaar (1860) tenha causado um terremoto político e literário, sendo considerado até hoje o principal romance da história da Holanda. Usando o pseudônimo de Multatuli, Eduard Douwes Dekker, um ex-assistente-residente (cargo semelhante ao de vice-governador), denuncia a corrupção e o massacre praticados pelo governo holandês nas então Índias Holandesas, atual Indonésia. Mas não o faz de maneira simples. Batavus Droogstoppel, mercenário corretor de café, recebe uma caixa cheia de manuscritos de um conhecido seu, Max Havelaar, e pega um deles para ler, onde Havelaar conta suas experiências como ex-assistente-residente, lutando contra um sistema político corrompido. Misturando diversos gêneros literários — peça de teatro, poemas, cartas, listas, parábolas, contos, notas, documentos — de forma extremamente inovadora e moderna, Max Havelaar sempre é comparado a Dom Quixote e Tristram Shandy. Segundo o crítico Otto Maria Carpeaux, cujo prefácio consta nesta edição, «o livro ocupa na literatura universal lugar de grande importância». Max Havelaar provocou intensas reformas na política holandesa — «é o livro que matou o colonialismo», segundo o escritor indonésio Pramoedya Ananta Toer, além de ter virado sinônimo de comércio justo — e foi estudado por intelectuais de diversas áreas, como Freud, Lênin, Mahler, Hermann Hesse. Traduzido para mais de quarenta línguas, Daniel Dago traz à luz a primeira tradução direta de Max Havelaar em português.
Edição1
LivroDigitalvazio
PrevendaVazio

Quem viu, também comprou