Buscar
Buscar

Eu Nunca Fui Ao Brasil

+-
Sinopse
Ficha Técnica
Eu Nunca Fui Ao Brasil

Grupo Livros

AutorErnst Jandl
ISBN9788566786897
TítuloEu Nunca Fui Ao Brasil
EditoraRelicário
Ano de Edição2019
IdiomaPortuguês
Número de Páginas168
País de OrigemBrasil
AcabamentoBrochura
Altura21
Largura13
Profundidade0,9
Peso282
FormatoFísico
OrigemBrasil
Serie/Coleçãovazio
Volumevazio
SinopseErnst Jandl (1925-2000), poeta, tradutor e professor austríaco pertence a uma geração de escritores em língua alemã cujos membros, após o término da II Guerra Mundial, encontraram na experimentação literária a possibilidade de desenvolvimento de uma nova linguagem a salvo de seu passado histórico recente. Ao lado dos poetas do chamado Wiener Gruppe, “Grupo de Viena” (constituido por H.C. Artmann e Gerhard Rühm, dentre outros), Jandl leva a cabo na Áustria dos anos 50 a continuação do percurso iniciado no começo do século pelas principais vanguardas germânicas como o expressionismo e o dadaísmo. Estilisticamente, ele joga literalmente com as palavras, cortando e distorcendo, misturando palavras, distanciando vogais, realizando trocas de consoantes, removendo sílabas, misturando palavras de diferentes línguas, empregando padrões gráficos e elementos tipográficos para a transmissão de significados, dentre outras experimentações. Associados à materialidade da língua, dois elementos primordiais estão presentes em sua poesia: humor e seriedade existencial. A cada volume de poesia, Ernst Jandl conquistou poeticamente novos caminhos - desde os poemas em uma língua desconstruída, cujos estilhaços foram capazes de formar novos e múltiplos sentidos, até sua poesia madura que transforma a doença, o declínio físico e outros temas em poesia de grande valor. Como renovador da linguagem poética alemã, a utilização de recursos visuais e sonoros vieram junto a temas críticos dos valores burgueses e das convenções sociais. Ironicamente, apesar de seu caráter vanguardista, ele se tornou bastante popular devido à jocosidade de seus poemas. Com acompanhamento de músicos de jazz, Ernst Jandl fazia leituras de seus poemas ao vivo com a audiência de um enorme público. Além disso, muitos de seus poemas são utilizados em livros didáticos alemães, devido à sua forma lúdica. Com seleção e tradução de Myriam Ávila, a coletânea de poemas Eu nunca fui ao Brasil contém poemas do lendário volume de 1966, intitulado “Laut und Luise”, cuja publicação levou a poesia experimental de língua alemã a um novo patamar. Há também poemas do livro “Ottos Mops Hopst”, de 1988 e “Idyllen”, de 1989 e de “Vom Vom Zum Zum”. O título do livro Eu nunca fui ao Brasil, é uma referência ao poema Calipso, no qual o poeta se queixa de nunca o terem convidado a conhecer nosso país.
Edição1
LivroDigitalvazio
PrevendaVazio

Quem viu, também comprou