0
0
Vozes Anoitecidas
Autor:
Cód:
9788535927337

Vozes Anoitecidas

Autor:
Cód:
9788535927337

Disponibilidade

Não é possível calcular o valor do Frete para o CEP informadoPrazo de entrega válido para pedidos feitos até as 22h00 com cartão de crédito e aprovado na primeira tentativa.

Por: R$ 44,90

Preço a vista: R$ 44,90

Opções de Parcelamento:
  • à vista R$ 44,90
Outras formas de pagamento
Opções de pagamento >
Comprar
Sinopse
Ficha Técnica

Calcule o valor do frete e prazo de entrega para a sua região

Sinopse

Descrição do Produto

Vozes Anoitecidas

Grupo Livros

AutorMia Couto
ISBN9788535927337
TítuloVozes Anoitecidas
EditoraCompanhia das Letras
Ano de Edição2016
IdiomaPortuguês
Número de Páginas152
País de OrigemBrasil
AcabamentoBrochura
Altura21
Largura14
Profundidade1,4
Peso220
FormatoFísico
OrigemBrasil
Serie/Coleçãovazio
Volumevazio
SinopsePublicado pela primeira vez em 1986, "Vozes anoitecidas" projetou o escritor moçambicano Mia Couto para o mundo. Conhecido até então por seu trabalho como jornalista e poeta, o autor - hoje tido como um dos mais influentes escritores da língua portuguesa - lançou aqui as bases daquela que viria a ser uma das principais características de sua obra ficcional: a reconstrução de laços entre registro oral e escrito. Em doze pequenos contos, um rol de personagens esfarrapados e alheios ao palco principal dos acontecimentos narra, de seu ponto de vista marginal, histórias que flertam com o mágico e com o absurdo sem, no entanto, desviarem-se completamente do plano factual. Em “As baleias de Quissico”, Jossias aguarda a chegada de um animal marinho de cuja boca, acredita, brotará “amendoim, carne, azeite de oliva e bacalhau”. Mas como saber se o animal existe, se ele jamais viu uma baleia? O enorme monstro que aporta sem ser visto pode ser tanto o misterioso “peixe grande” como um submarino carregado de armamentos ilegais. Jossias prefere acreditar no sonho e, como ele, outros personagens de Vozes anoitecidas encontram mais razão na fantasia que na lógica da guerra e da privação. Ao promover uma espécie de vertigem, sob efeito da qual não se pode afirmar se uma narrativa é absurda ou se absurda é a realidade de que ela trata, o autor apresenta a perplexidade como ponto de partida para o fazer literário.
Edição1
LivroDigitalvazio
PrevendaVazio

Quem viu, também comprou