Buscar
Buscar

entrega-expressa

Trilogia Elétrico: Um Garotinho com Tdah

Por: R$ 64,90

Preço a vista: R$ 64,90

+-
Comprar
Opções de Parcelamento:
  • à vista R$ 64,90
Outras formas de pagamento
Trilogia Elétrico: Um Garotinho com Tdah

Grupo Livros

AutorEduardo Ferrari
ISBN9786559221141
TítuloTrilogia Elétrico: Um Garotinho com Tdah
EditoraLiterare Books International
Ano de Edição2021
IdiomaPortuguês
Número de Páginas214
País de OrigemBrasil
AcabamentoBrochura
Altura14
Largura21
Profundidade4
Peso300
OrigemBrasil
Serie/Coleçãovazio
SinopseCom ilustrações do renomado cartunista e artista plástico Paulo Stocker, o livro, lançado pela Literare Books International em parceria com a EFeditores. A trilogia contém as três obras do pequeno Bernardo e baseado nas experiências reais do autor Eduardo Ferrari, que também é portador de TDAH tardiamente diagnosticado. Elétrico: Seu filho não para quieto, pula de um lado para o outro o tempo todo. Ansioso, não consegue esperar pela sua vez ou se concentrar por muito tempo em qualquer atividade. E tem sempre algum adulto, um parente ou um amigo, olhando para você como se esse excesso de energia fosse culpa sua - o pai ou a mãe que não sabe como colocar limites numa criança. "Que menino elétrico!" é a frase que você e seu filho mais escutam. Distraído: O pequeno Bernardo, o mesmo das aventuras do livro Elétrico, retorna na continuação Distraído, de Eduardo Ferrari. Ele ainda se veste de suas fantasias, principalmente de seus heróis imaginários, e vive histórias engraçadas e desafiadoras. Muitas crianças com TDAH se vestem assim porque são no dia a dia seus próprios heróis enfrentando desafios que outras crianças, consideradas bem comportadas pelas pessoas, não tem que enfrentar. Falante: Um livro para crianças hiperativas, que irão se identificar com a obra e para os pais delas, que encontrarão nas páginas uma ferramenta para entender como funciona o cérebro de seus pequenos. De acordo com as estatísticas da Organização Mundial de Saúde, mais de 4% da população adulta mundial sofre com o transtorno. Só no Brasil, o TDAH atinge 2 milhões de pessoas adultas. E a maior parte delas simplesmente passou toda a infância e adolescência sem diagnóstico, vítimas da incompreensão dos colegas e até da família. Herança genética. Hoje a medicina sabe que a herança genética é um dos fatores associados ao TDAH. Por isso não é raro que o diagnóstico de uma criança leve a família a descobrir outro portador do transtorno dentro de casa - ou o pai ou a mãe.
Edição1
LivroDigitalvazio
PrevendaVazio