Buscar
Buscar

Personae

Por: R$ 139,90

Preço a vista: R$ 139,90

+-
Comprar
Opções de Parcelamento:
  • à vista R$ 139,90
Outras formas de pagamento
Sinopse
Ficha Técnica
Personae

Grupo Livros

AutorMadalena Schwartz
ISBN9788571647206
TítuloPersonae
EditoraCompanhia das Letras
Ano de Edição1997
IdiomaPortuguês
Número de Páginas104
País de OrigemBrasil
AcabamentoBrochura
Altura29
Largura26
Profundidade0,5
Peso688
FormatoFísico
OrigemBrasil
Serie/Coleçãovazio
Volumevazio
SinopseNascida em 1922, em Budapeste, Madalena Schwartz emigrou para a Argentina aos treze anos e em 1960 radicou-se em São Paulo. Tinha uma lavanderia na rua Nestor Pestana, e era este o trabalho que a sustentava. Ignácio de Loyola Brandão, que a conheceu nessa época, conta que a via sempre "encolhida e tímida atrás do balcão, observando os fregueses com olhos enormes e ansiosos". Começou a aprender fotografia em 1966, aos 44 anos, e, a partir de então, o que poderia não ter passado de um hobby consolidou-se como atividade profissional, sobretudo na área de fotojornalismo.Maria Bonomi fala sobre Madalena: "Ela ficou sabendo tudo de mim quando me fotografou"; ela "capta a partitura interior de cada um, cada coisa é sugada e exposta em papel fotográfico" - e esse é um comentário que pode ser estendido a todas as fotografias reunidas em Personae.São 66 retratos de gente conhecida no Brasil - atores, escritores, políticos, artistas plásticos, intelectuais, figuras públicas - que a lente de Madalena Schwartz colecionou pacientemente ao longo dos anos, sempre revelando alguma coisa que parece estar além do objeto em preto e branco. Os nomes são muitos e variados: Joãozinho Trinta, Darcy Ribeiro, Millôr, Jaime Lerner, Caetano Veloso, Chico e Sérgio Buarque de Holanda, dom Hélder Câmara, Mãe Menininha do Gantois, Drummon, Mario Schenberg, Lula, Jânio, Clarice Lispector, Júlio de Mesquita Filho, Elke Maravilha etc.Todos os retratos dão a impressão de conter dois pontos de vista e de expressar dois modos de ser: o da fotógrafa e também o da figura retratada. Madalena nos faz ver as pessoas e, ao mesmo tempo, mostra a si mesma através delas. Nas palavras de Maria Bonomi, ela "interpreta o enigma". Ou, como escreve Emanuel Araújo, cada personagem retratado "está lá, fixado em um instante do tempo, perpetuado em sua verdade por um olhar cheio de paixão". De certo modo, Madalena Schwartz fotografava a alma.
Edição1
LivroDigitalvazio
PrevendaVazio

Quem viu, também comprou