0
0
As Maquinas Celibatarias
Autor:
Editora:
Cód:
9788566786965

As Maquinas Celibatarias

Autor:
Editora:
Cód:
9788566786965

Disponibilidade

Não é possível calcular o valor do Frete para o CEP informadoPrazo de entrega válido para pedidos feitos até as 22h00 com cartão de crédito e aprovado na primeira tentativa.

Por: R$ 60,00

Preço a vista: R$ 60,00

Opções de Parcelamento:
  • à vista R$ 60,00
Outras formas de pagamento
Opções de pagamento >
Comprar
Sinopse
Ficha Técnica

Calcule o valor do frete e prazo de entrega para a sua região

Sinopse

Descrição do Produto

Maquinas Celibatarias, as

Grupo Livros

AutorMichel Carrouges
ISBN9788566786965
TítuloAs Maquinas Celibatarias
EditoraRelicário
Ano de Edição2019
IdiomaPortuguês
Número de Páginas288
País de OrigemBrasil
AcabamentoBrochura
Altura23
Largura16
Profundidade1,08
Peso500
FormatoFísico
OrigemBrasil
Serie/Coleçãovazio
Volumevazio
SinopseAs máquinas celibatárias é um livro chave para entender a sobrevivência dos mitos no universo das máquinas. Editado originalmente em 1954, o livro ganhou uma edição ampliada em 1976, base para a presente edição brasileira. Michel Carrouges, ao estabelecer uma relação inédita entre Marcel Duchamp e Franz Kafka, criou um catálogo de máquinas literárias. Esta obra é uma das primeiras leituras conceituais da obra de Marcel Duchamp, La mariée mise à nue par ses célibataires, même ou simplesmente O grande vidro (1915-1923), na qual Duchamp é surpreendentemente um fio condutor para a crítica literária. Mobilizado essencialmente por essa obra e mantendo-a como fio condutor, Carrouges cataloga um conjunto de máquinas impossíveis, inúteis, delirantes ou com dispositivos aparentemente incompreensíveis. Trata-se de um modo bem apropriado para situar a literatura no final do século XIX até meados do século XX. O repertório literário que o leitor encontrará neste livro abrange Franz Kafka, Raymond Roussel, Alfred Jarry, Guillaume Apollinaire, Jules Verne, Villiers de l´Isle-Adam, Irène Hillel-Erlanger, Adolfo Bioy Casares, Lautréamont e Edgar Allan Poe. A edição contém ainda uma breve correspondência entre Michel Carrouges e Marcel Duchamp. Em uma das cartas, Duchamp admira a leitura do autor pela súbita e clara aproximação feita entre o dispositivo do Grande vidro e aquele encontrado na Colônia Penal, de Franz Kafka.
Edição1
LivroDigitalvazio
PrevendaVazio

Quem viu, também comprou