Buscar
Buscar

Ciranda de nos

+-
Ciranda de nos

Grupo Livros

AutorMaria Carolina Maia
ISBN9788561578091
TítuloCiranda de nos
EditoraGrua Livros
Ano de Edição2009
IdiomaPortuguês
Número de Páginas176
País de OrigemBrasil
AcabamentoBrochura
Altura20
Largura14
Profundidade1,06
Peso264
FormatoFísico
OrigemBrasil
Serie/Coleçãovazio
Volumevazio
SinopseAtravessando a avenida Paulista, na enorme cidade de São Paulo, a jovem caminha pela multidão. Ela almoça olhando no relógio, o tempo de seu cotidiano é contado, mas o que ela enxerga é outro tempo, o da infância vivida na pequena São José da Coroa Grande, no litoral sul de Pernambuco. Tempo de dona Dona Miúda, descendente de escravos e analfabeta, que lia o futuro na fumaça de seu fogão. Tempo de Duca, cuja vida era trazer do mar o peixe que lhe garantia o sustento. Tempo da Maionese, a bicicleta que a levava pelas ruas de terra e sempre de volta para a casa de tijolos, o  refúgio contra as histórias que se contavam por lá. A do coqueiro mal-assombrado, a da mulher que virava lobisomem. Mais do que a metamorfose de criança para adulto, Ciranda de nós retrata a mudança de um Brasil que se transformou. Da vila de pescadores que recebia Gilberto Freyre - que discutia sempre com dona Teté, dona da pensão onde se hospedava -, de engenhos seculares dominados por seus senhores, de um país rural, para o primeiro prédio, para a invasão dos turistas, para a chegada do mundo urbano e moderno na São José da Coroa Grande. Este caminhar rumo à luz elétrica, ao asfalto, à  tecnologia, vitima não apenas um modo de ser, mas também personagens comuns a um passado literário brasileiro, como o padre, o delegado, a dona da pensão, o dono do cartório, o pedreiro, o pescador, que neste romance encaram as mudanças que o país experimentou nos últimos 30 anos. Alguns, a elas se adaptam, outros são por elas engolidos. Como numa ciranda, Maria Carolina Maia descortina cada eu que compõe a narradora deste romance vencedor do Prêmio Nascente USP/2006.
Edição1
LivroDigitalvazio
PrevendaVazio

Quem viu, também comprou