0
0
Canção de Ninar
Autor:
Editora:
Cód:
9788542212037

35%

Canção de Ninar

Autor:
Editora:
Cód:
9788542212037

Disponibilidade

Não é possível calcular o valor do Frete para o CEP informadoPrazo de entrega válido para pedidos feitos até as 22h00 com cartão de crédito e aprovado na primeira tentativa.

De: R$ 47,90Por: R$ 31,14

Preço a vista: R$ 31,14

Economia de R$ 16,76

Opções de Parcelamento:
  • à vista R$ 31,14
Outras formas de pagamento
Opções de pagamento >
Comprar
Sinopse
Ficha Técnica

Calcule o valor do frete e prazo de entrega para a sua região

Sinopse

Descrição do Produto

Canção de Ninar

Grupo Livros

AutorLeila Slimani
ISBN9788542212037
TítuloCanção de Ninar
EditoraTusquets Brasil
Ano de Edição2018
IdiomaPortuguês
Número de Páginas192
País de OrigemBrasil
AcabamentoBrochura
Altura22,5
Largura15
Profundidade2
Peso322
FormatoFísico
OrigemBrasil
Serie/Coleçãovazio
Volumevazio
SinopseApesar da relutância do marido, Myriam, mãe de duas crianças pequenas, decide voltar a trabalhar em um escritório de advocacia. O casal inicia uma seleção rigorosa em busca da babá perfeita e fica encantado ao encontrar Louise: discreta, educada e dedicada, ela se dá bem com as crianças, mantém a casa sempre limpa e não reclama quando precisa ficar até tarde. Aos poucos, no entanto, a relação de dependência mútua entre a família e Louise dá origem a pequenas frustrações – até o dia em que ocorre uma tragédia. Com uma tensão crescente construída desde as primeiras linhas, Canção de ninar trata de questões que revelam a essência de nossos tempos, abordando as relações de poder, os preconceitos de classe e entre culturas, o papel da mulher na sociedade e as cobranças envolvendo a maternidade. Publicado em mais de 30 países e com mais de 600 mil exemplares vendidos na França, Canção de ninar fez de Leïla Slimani a primeira autora de origem marroquina a vencer o Goncourt, o mais prestigioso prêmio literário francês. “A tensão latente em cada página aquece aos poucos a análise da burguesia, até ser dinamitada por um impulso de violência instintiva.” Stéphanie Dupays e Eric Loret, Le Monde.
Edição1
LivroDigitalvazio
PrevendaVazio

Quem viu, também comprou