Buscar
Buscar

Aleluia, Gretchen

+-
Sinopse
Ficha Técnica
Aleluia, Gretchen

Grupo Livros

AutorSylvio Back
ISBN9788531210020
TítuloAleluia, Gretchen
EditoraImago
Ano de Edição2009
IdiomaPortuguês
Número de Páginas168
País de OrigemBrasil
AcabamentoBrochura
Altura21
Largura14
Profundidade1,01
Peso252
FormatoFísico
OrigemBrasil
Serie/Coleçãovazio
Volumevazio
SinopseHoje ainda é impossível compreender a história do cinema brasileiro da década de 70 sem entender o tratamento dado por Sylvio Back à histérica aversão à cultura alemã em dias de guerra. Não apenas pela dourada carreira de prêmios de “Aleluia, Gretchen”, mas por seu saudável descompromisso com cartilhas estéticas e políticas (as ainda vigentes ou as agonizantes), fossem elas marginais ou cinemanovistas. A liberdade com que Back se lançou no fosso da História obviamente lhe valeu torcidas de nariz. “O filme já nascera torto: a originalidade de sua temática – a evolução das sobrevivências do nazifascismo tupiniquim dos anos 30 na cabeça e ações do brasileiro moderno – antecipava uma carreira institucional e cultural cheia de turbulências”, admitiu em 1978. Durante toda a carreira comercial de “Aleluia, Gretchen” bem-sucedida em todo o país, o realizador manteve como o argumento-base do longa a discussão dos problemas da imigração na civilização meridional. Já pelo roteiro, que alinhavado por Back a partir de uma história dele, é possível sentir como o cineasta evitou enveredar pelo prefixo “anti” em cada uma de suas linhas. “Aleluia, Gretchen” passa longe de ser antialemão, anti-semita, antidemocrático, antiburguês. Só vale um “anti” para a saga dos Kranz no Brasil: a anticensura. Sylvio Back escreveu esta trama – agora resguardada em livro trinta anos depois de seu impacto na telona – como uma resposta ao silêncio. O roteiro é mais um eco de seu gesto. Rodrigo Fonseca
Edição1
LivroDigitalvazio
PrevendaVazio